terça-feira, 11 de outubro de 2011

FLÂMULA

Ousadia, palavra que define o milagre anglicano de reavivamento juvenil de nossa província.
A cada dia a nossa movimentação vai dando ares de renovação a este sodalicio na multiplicidade de realidades e modos de celebrar e louvar em nossas comunidades da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil.  E nesse ritmo é cada vez mais real que a participação de cada um é essencial ao desenvolvimento de nossa juventude, que, consequentemente, traz desenvolvimento a nossa Igreja e também, trazendo à Igreja/juventude o compromisso de influenciar o mundo, a sociedade, e contribuir para um manifesto público de conversão do rumo de egoísmo, desordem e desigualdade que a humanidade segue para um caminho de amor ao próximo e a Deus sobre todas as coisas (Mateus 22:36-38).
Se mais este exemplar chegou a você (ou se este é ainda o primeiro exemplar a alcançar você), é sinal ativo deste milagre. E devo te advertir que você passa a constar no rol de privilegiados que tem a responsabilidade de contribuir com a comunidade e o crescimento desse milagre, que utilizamos no compromisso cristão de fazer discípulos, comungar com os irmãos e preservar a criação. Este é o nosso canal. É o canal da juventude para pormoção do nosso movimento, das nossas inquietações, da nossa alegria e do nosso compromisso. Cada diocese tem o seu representante juvenil, procure a ele(a) e pergunte onde/como/quando pode contribuir com a UJAB de sua diocese. (lista de representantes). Será importante para eles e para nós recebermos notícias de alguém como você. Neste editorial queremos saber: Podemos contar contigo?
Mande notícias, impressões, opiniões sobre esta edição (também sobre outras) e sujestões. Esperamos por você na próxima edição. Graças e Paz de Cristo a todos nós. E que o Espírito Santo incomode e ilumine a fazer da nossa comunhão uma extensão de nós próprios!
*Editorial do Flâmula deste mês 
(Para receber o Flâmula envie um e-mail para grupojovemanglicano@gmail.com)
Dominique Lima
Membro CIN-UJAB
Diocese Anglicana do Recife | DAR