terça-feira, 17 de janeiro de 2012

VOCAÇÃO: OUVIR O CHAMADO DE DEUS

Este segundo domingo do tempo da Epifania nos brinda com a leitura de um dos textos mais famosos do Antigo Testamento. Inclusive, muitos de nós jamais o esquecerá porque é sempre um texto que os educadores infantis em nossas escolas dominicais usavam com tanta freqüência em anos passados.
Trata-se da vocação do jovem Samuel. Alguns pontos muito importantes devem ser destacados nesta linda historinha: Deus chama Samuel e este pensa que era o sacerdote  Eli que o estava chamando - afinal vivia como uma espécie de acólito do sacerdote e com este tinha uma convivência permanente. Seria comum sempre, no exercício do seu oficio, ouvi-lo  chamar para o cumprimento de tarefas.
Aqui vem a primeira coisa que queria destacar: para a maioria das pessoas que estão sob nossos cuidados, representamos como sacerdotes a voz do próprio Deus. Isso é muito importante ser considerado, pois dependendo de nossa vida e testemunho, seremos confundidos ou não com a manifestação  do próprio Deus.
Após ouvir a tal voz várias vezes, Samuel é orientado a responder adequadamente. E aqui vem a segunda observação importante: o sacerdote Eli entendeu o que estava acontecendo e cumpriu um importante papel de facilitador, ocasionando assim o encontro e a resposta entre o jovem e o próprio Deus.

O que vem a seguir todos sabemos: Deus fala a Samuel sobre o projeto de vida que havia reservado pra ele e ele partilha com Eli - meio temeroso ainda - e o velho sacerdote lhe dá uma sábia resposta: Ele é o Senhor; faça o que lhe parecer bem aos seus olhos!
Como Igreja vivemos hoje um tempo no qual achamos que as vocações religiosas estão escassas. E isto é verdade. Hoje existem muitas vozes que chamam e nesta “confusão” de vozes muitos não conseguem perceber qual é a voz divina.

Vejo aqui a necessidade de a Igreja orientar, especialmente nossa juventude a identificar o chamado de Deus. Os reverendos e reverendas desempenham importante papel nesse contexto. A família também tem uma alta responsabilidade em identificar o chamado divino e orientar os filhos sobre a adequada compreensão do que seja vocação ministerial.
É importante frisar que vocação ministerial não é sinônimo apenas de vocação sacerdotal. O chamado de Deus não está condicionado a fazer das pessoas reverendos e reverendas.  Há uma pluralidade de ministérios na vida eclesial e para cada um deles é preciso se identificar vocacionados.
Uma boa estratégia para se identificar vocações é fazer como Eli fez com Samuel: deixar que ele fique um tempo para ouvir somente a voz de Deus. Encontros, retiros e outras estratégias litúrgicas (evidentemente não manipulativas) são ricas ocasiões para se permitir esse encontro com Deus.
Nossa juventude está aberta a essas experiências e , ao contrário do que pensamos, possui uma espiritualidade própria que, orientada adequadamente, sabe distinguir a voz de Deus. A partir daí, é nosso papel como Igreja estimular essas vocações. Nutrir a juventude com a Palavra e o Sacramento. Ouvir suas idéias e apoiar suas iniciativas.
Nossa juventude - e a sociedade como um todo - ainda se espelham nas lideranças da Igreja. E, como tal, confrontam essa projeção com seus valores mais preciosos. Nosso testemunho em torno de valores como justiça, respeito à natureza, compromisso com os mais pobres, transparência, constituem um referencial para que os jovens se sintam chamados a também testemunhar o amor de Deus no mundo.
A exemplo de Eli - precisamos estimular nossos jovens a ouvir e distinguir o chamado de Deus.
Concluo com uma oração para as vocações em nossa querida IEAB.

Deus Todo-Poderoso agradecemos a honrosa vocação a que nos chamas para testemunhar o teu amor ao mundo, às pessoas e a toda tua Criação. Que possamos levar outros a assumirem com toda a força de seus corações o chamado para o teu serviço. Especialmente nossos jovens, para que escutem a tua voz e respondam prontamente ao teu chamado. Por Jesus Cristo, teu filho, nosso Senhor que contigo e o Espírito Santo reina  hoje e sempre.
Dom Francisco Silva
Diocese Sul-Ocidental